5 princípios sobre liderança

Independente da área de atuação, do cargo e do momento de carreira que você vivencie atualmente, existem 5 princípios sobre liderança que são fundamentais para um trabalho ser mais efetivo.

O primeiro é desenvolver a autoliderança. Com algumas mudanças que estão acontecendo no contexto organizacional, como redução de níveis hierárquicos, gestão à distância, projetos entre áreas, trabalho remoto (home office) é bastante relevante desenvolver a autoliderança. Para isso o autodesenvolvimento e a aprendizagem individual são elementos chave. Saber mais sobre o negócio em que atua e como desenvolver competências que contribuirão para obter maestria nas atividades pode fazer toda a diferença. Um outro item da autoliderança é a capacidade de criar processos de colaboração com foco no sucesso de todas as pessoas envolvidas. A ideia é identificar alternativas onde os envolvidos de fato ganhem algo e não apenas uma pessoa ou uma área alcance méritos.

Já o segundo princípio é ter uma visão. Líderes que não sabem para onde querem ir muitas vezes geram insegurança nas pessoas. Mesmo quem não tem equipe direta, quando tem uma visão e a compartilha com pares ou com a equipe que trabalha a tendência é gerar confiança. Outro ponto importante da visão é a motivação para atingir algum objetivo que tenha sido estabelecido. Com isso, o líder ou o colaborador se responsabiliza mutuamente pelo resultado. Existem alguns componentes importantes para ter uma visão e dois são imprescindíveis: propósito e imagem clara do futuro. Uma visão sem esses dois itens não é uma visão completa.

Administrar as mudanças é o terceiro princípio. Dependendo do grau de responsabilidade e complexidade do cargo que alguém tenha isso faz parte das tarefas diárias. Mesmo que não esteja na sua “obrigação e na descrição do seu trabalho” desenvolver habilidades que impactem positivamente na construção de melhores relacionamentos e na capacidade de influenciar pessoas pode contribuir muito para gerenciar ou ser um agente da mudança. Porque as mudanças começam com as pessoas. Um outro fator que auxilia na administração das mudanças é conhecer o contexto presente e saber qual é o contexto pretentido, pois a partir deste ponto o próximo passo é elaborar a estratégia mais adequada para esse fim. Soma-se a execução de um planejamento com ajustes quando necessário e o encorajamento das pessoas como ingredientes essenciais em todo processo de mudança.

O quarto princípio pode parecer contraditório, mas na verdade é complementar: lidar com a imprevisibilidade e com a previsibilidade de forma interdependente. Esse princípio leva a pensarmos como podemos identificar um relacionamento entre o “caos” e a “ordem”. Para isso, fazer conexões é o grande diferencial. Conexões essas que podem ser de áreas completamente diferentes, de modelos e teorias distintos e, até mesmo, com ideias divergentes. Um elemento que possibilita isso ser mais simples (não quer dizer fácil necessariamente) de acontecer é conseguir realizar um diagnóstico do ambiente interno e externo do contexto (organizacional ou não) que vivemos. Quando conseguimos compreender esse “sistema” verificamos que existem variáveis internas que estão em nossas mãos e temos um controle maior, e outras que são externas, e não dependem de nós. Entretanto, quando temos consciência disso e construímos as conexões podemos influênciá-las de outras formas.

Por fim, mas não menos importante o quinto princípio: conhecer a si mesmo! Quanto mais enxergarmos a interdependência que existe em tudo que realizamos mais perceberemos que somos parte e a todo momento estamos afetando de forma individual o resultado de alguma ação que fazemos. Isso pode ser em um diálogo, em uma reunião e até mesmo por meio de um pensamento. Impactamos e somos impactados constantemente. Em função disso, quanto mais conhecermos nossos pontos fortes e nos desenvolvermos ainda mais neles, melhor poderemos criar nossas interações e maior será a probabilidade de gerarmos impactos positivos em tudo que fizermos. Ao reconhecer que existe uma ampla diversidade de pessoas com culturas, opiniões crenças e interesses diferentes dos nossos, abrimos espaço para estarmos mais receptivos e flexíveis. O resultado (geralmente com um pouco de “treino”) é a ampliação da consciência que a outra pessoa e os outros seres humanos podem contribuir para eu me conhecer mais.

Talvez a consciência seja a essência da liderança. A frase atribuída a Thich Nhat Hanh indica isso: “O mais básico de todos os preceitos é ter consciência de tudo o que fazemos, tudo o que somos, a cada minuto.” Essa consciência é o âmago da liderança.

 


 

Fabrício César Bastos
Eu ajudo líderes e colaboradores individuais a melhorarem sua performance profissional por meio de treinamentos nas áreas de liderança, gestão e estratégia.

fabricio@flowan.com.br

 

 

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

AUTOR

Fabrício César Bastos

Fabrício César Bastos

Eu ajudo líderes e colaboradores individuais a melhorarem sua performance profissional por meio de treinamentos nas áreas de liderança, gestão e estratégia
Veja também:
Liderança

Conexão Emocional – A chave para liderança

Começarei este post com uma reflexão, frente aos desafios da liderança que tenho escutado de...
Liderança

Cultura da Essência e Liderança Essencial

No que as organizações precisam focar nos seus negócios para que possam passar esse momento...
WeCreativez WhatsApp Support
Fale com nossa equipe de especialistas.
👋 Olá, como podemos te ajudar?
X