O que a robô Sophia tem a ver com a sua carreira?

O que a robô Sophia tem a ver com a sua carreira?

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

No último dia 25 de outubro no evento Future Investment Initiative algo causou um grande impacto: Sophia ganhou o direito de ser reconhecida como cidadã da Arábia Saudita. O impacto não foi apenas por essa permissão da cidadania ser dada à uma mulher em um país onde as mulheres devem seguir diversas regras (não podem dirigir, não podem interagir com homens, não podem vestir a roupa que quiserem etc.), mas sim em função da Sophia ser um robô.

A Hanson Robotics, empresa de David Hanson, produziu além de Sophia outros robôs como Professor Einsetein e Diego-san. A interação e respostas durante uma conversa com pessoas por meio da inteligência artificial, bem como a aparência com seres humanos (graças à pele artificial chamada Frubber) chama a atenção e consequentemente vem acompanhada de uma série de questionamentos.

Talvez o primeiro deles seja: será que um(a) robô como a Sophia ocupará minha carreira/meu cargo no futuro?

Segundo o estudo “The shape of jobs to come” que retrata possíveis carreiras que surgirão até 2030 como resultado dos avanços da ciência e da tecnologia, em algumas áreas isto é bem provável que aconteça.

Duas das carreiras do futuro de acordo com este estudo é a de “Advogado Virtual” e “Professor Virtual”.  O trabalho desenvolvido pela Fast Future Research considera que avatares podem estar presentes nos anos iniciais das escolas substituindo professores e, no caso dos advogados, a utilização cada vez maior da tecnologia poderá diminuir ou até mesmo eliminar a necessidade de um profissional cuidar das tarefas que atualmente realizam.

Na mesma linha da Sophia, a IBM criou o Watson com foco na era cognitiva. Também desenvolvido por meio da Inteligência Artificial, já existe um produto no mercado nacional:  o Watson for Oncology e o Hospital do Câncer Mãe de Deus, referência em tratamento oncológico na região Sul do país (Porto Alegre), será a primeira instituição de saúde da América do Sul a utilizar inteligência artificial para identificar opções de tratamento para pacientes com câncer, o que outrora era feito apenas por médicos.

Ao mesmo tempo que podem existir grandes avanços em produtividade na utilização das ciências e de dados aplicados ao mundo dos negócios e da sociedade trazendo ganhos, também existem pessoas que acreditam que a evolução da tecnologia pode ser um problema. Uma destas pessoas é Elon Musk.

Musk é um bilionário da indústria da tecnologia (fundador da Paypal, CEO da Tesla dentre outras) e defensor de uma regulamentação para desenvolvimento de sistemas de inteligência artificial. Para ele, caso não forem observadas algumas diretrizes o uso desta tecnologia pode trazer impactos negativos como: robôs serem utilizados como armas, ampliação de robôs em ocupações realizadas por seres humanos, etc.

Por incrível que pareça esta tecnologia já está mais próxima de nós do que muitas vezes nos damos conta. Os assistentes virtuais como Siri, Cortana e Google Now estão presentes no nosso cotidiano, bem como outros aplicativos que praticamente não conseguimos mais viver sem eles (Whatsapp, Waze etc.).

A reflexão que deixo para finalizar este artigo não é SE a tecnologia e a inteligência artificial irão impactar sua carreira, mas sim, COMO a tecnologia e a inteligência artificial impactarão sua carreira?

Você está se preparando para as prováveis e potenciais mudanças que acontecerão no mercado de trabalho e que afetará as carreiras tradicionais? Você já conhece quais serão as carreiras que surgirão no futuro? Como você estudar e se desenvolver para realizar uma eventual transição de carreira?

Na próxima semana estarei na HSM Expo e me inscrevi para a maioria das palestras que terão com tema principal Inteligência Artificial e o mundo dos negócios. Posteriormente farei uma Live no Facebook compartilhando os principais pontos e tendências.

E para refletirmos sobre este assunto, deixo a frase do guru Peter Drucker: “A melhor forma de prever o futuro é criá-lo”.

 

 

Fabrício César Bastos |Eu ajudo líderes e colaboradores individuais a melhorarem sua performance profissional por meio de treinamentos nas áreas de liderança, gestão, estratégia e negociação.|

[email protected]

www.flowan.com.br

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *