Felicidade no trabalho: Dicas para conquistá-la

Felicidade no trabalho: Dicas para conquistá-la

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Quem nunca pensou em um trabalho dos sonhos, aquele que recebemos para fazer algo que amamos?

Cada vez mais vejo clientes que me procuram para coaching de carreira, estudantes e até mesmo pessoas dentro de empresas mencionando que não são felizes no trabalho e que buscam por um trabalho que as motive mais.

Será que é possível ser feliz no trabalho ou de fato ele é um lugar de “tortura” (como na origem da palavra – tripalium instrumento romano de tortura) e que devemos ir para apenas ganhar nosso dinheiro de forma suada e dura?

Além das pessoas buscarem carreiras e atividades que gostem mais e tenham prazer no que fazem, vejo um grande movimento de busca de sentido e significado no trabalho. Ou seja, o trabalho pode ser uma fonte de alegria, motivação e também de remuneração.

Creio que o ponto de partida para conquistar a felicidade no trabalho é clarificar o que buscamos: O que é felicidade e sucesso no trabalho para você? Caso não soubermos isso, como teremos ideia se conquistamos?

O segundo aspecto é identificar quais atividades mais gosto de fazer. Considerando o atual trabalho, quanto você tem feito essas tarefas? Em uma semana normal, qual é o percentual de tempo que consegue realizá-las?

Outra questão bastante relacionada à essa é considerar áreas (não apenas uma) onde acredita que você tenha afinidade e sua experiência e conhecimentos possam impactar mais a organização. Neste ponto, o autoconhecimento é fundamental para analisar as opções mais adequadas.

Não adianta eu adorar algo se não tenho facilidade para aquilo. Como um hobby pode funcionar, aliás falaremos disso mais para frente, mas para o trabalho pode ser mais difícil disso dar certo. Procure identificar o que você faz muito bem e analise se existe alguma oportunidade de aplicar em algo que você goste.

Antes de se candidatar para uma empresa ou iniciar uma carreira ou transição é importante pesquisar a empresa para saber como é o clima organizacional por lá, os valores corporativos para verificar se estão alinhados com os nossos, a remuneração e o benefício também são aspectos relevantes e devem ser considerados nesta etapa. Entretanto, só dá para saber como é a empresa, o líder, a área e os colegas de trabalho depois de um tempo de convivência. Porém, se estivermos atentos e atentas para isso antes de entrarmos em uma nova empresa ou iniciarmos uma nova etapa profissional nossas decisões podem ser mais acertadas.

Talvez uma das questões mais complexas de se gerenciar, principalmente quando falamos sobre felicidade no trabalho é a paciência X ansiedade. Por vezes parece que estamos estagnados e que nada novo ou desafiador acontecerá na nossa carreira. Aqui vem o momento de lembrarmos do ditado “não há mal que nunca acabe e bem que sempre dure” ou a impermanência que Buda falava, pois assim como nossas vidas nossa jornada profissional sofrerá de altos e baixos. Às vezes uma decisão precipitada poderia ser acompanhada de uma futura promoção. Pode acontecer de uma mudança para outra área ou empresa não ser exatamente aquilo que pensávamos. Isso tende a ocorrer quando deixamos a emoção falar mais alto. Ela deve ser considerada conjuntamente com aspectos da razão. O grande desafio é perceber o “timing certo” para não ficar esperando por um longo tempo (anos muitas vezes) por oportunidades que nunca cheguem. Quando isso ocorre o medo da mudança pode nos impedir de seguir outros rumos profissionais.

Tenha um hobby! Por incrível que pareça ter uma atividade fora do trabalho que gostamos de fazer como uma atividade física, tocar um instrumento, cantar dentre outros pode contribuir para relaxarmos, ampliar nossa rede de contatos e trabalhar o corpo e o cérebro de forma diferente até mesmo ajudando a desenvolver novas competências.

Por fim, considere que a felicidade no trabalho envolve a satisfação em diferentes áreas, tais como: com as atividades que realiza, com a área de atuação, com os colegas de trabalho, com os líderes (principalmente a liderança imediata), com a empresa e com a remuneração e benefícios.

Será pouco provável que alcancemos a satisfação desejada em todos os âmbitos indicados acima. Então a reflexão que podemos fazer considerando o nosso momento é: quais áreas que busco maior satisfação no presente?

Desejo muita felicidade no seu trabalho e carreira e que alcance o máximo de satisfação possível no que você realizar.

Abraços!

Fabrício César Bastos

 

 

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *