3 motivos que contribuem para se tornar um líder inspirador

3 motivos que contribuem para se tornar um líder inspirador

Compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Quando ouvimos falar sobre liderança algumas palavras aparecem junto com esse tema como equipes, pessoas, organizações etc. Além das palavras, existem diversas definições e uma delas é: a capacidade de inspirar pessoas para atingirem um determinado objetivo.

Ok, muitos líderes já devem ter ouvido e sabem que isso é esperado deles/delas. Mas como fazer na prática a inspiração acontecer para mobilizar pessoas, projetos e organizações?

Existem 3 motivos que quando aplicados podem contribuir para que a liderança inspiradora ocorra e traga os resultados desejados.

O primeiro motivo é promover a colaboração. O(a) líder inspirador(a) é a pessoa que consegue montar uma equipe eficaz e que possa trazer grandes transformações por meio dos indivíduos. Para isso, é importante reunir pessoas com diferentes experiências e conhecimentos e até de áreas distintas. O grande desafio disso é fazê-las trabalhar juntas com uma meta comum. Aqui entra a habilidade da liderança construir um ambiente de colaboração para que o resultado das diferentes competências das pessoas da equipe gerem valor para o fim que está sendo trabalhado. Dificilmente haverá mudanças relevantes na sociedade e nas empresas com um time pequeno, especialista e “limitado” em termos de conhecimentos, perspectivas e experiências. Ouvir e agregar diferentes ideias e pontos de vista, dar autonomia para as pessoas e trabalhar a comunicação e o poder mais “horizontalizado” pode ter um grande impacto para que a colaboração se torne tangível e não apenas uma reunião onde conceitos bacanas são tratados.

Estimular engajamento por meio dos valores é o segundo motivo. Aqui é considerável compreender o possível (e cada vez mais necessário para as pessoas) alinhamento entre os valores pessoais e organizacionais. Dentre algumas iniciativas da liderança para promover os valores são: formar relacionamentos com as pessoas, conhecer as metas pessoais de cada pessoa da equipe, gerenciar o aprendizado individual e do time e ligar a cultura interna ao desempenho.

Como a formação de relacionamentos geralmente não acontece sozinha é importante que os/as líderes dediquem trabalho, tempo e ação para a construção desta ligação no ambiente profissional. A maioria dos seres humanos têm a necessidade de desenvolver relacionamentos. Quando as pessoas sentem que o cuidado e interesse dos líderes é genuíno o engajamento tem maior chance de acontecer.

As metas pessoais podem ser plataformas para os líderes construírem metas para o grupo. Caso as necessidades individuais tenham sido reconhecidas ou consideradas a tendência é que as pessoas de uma equipe estejam prontas para mais responsabilidades, sejam individuais ou coletivas.

Na parte de gerenciar o aprendizado individual e coletivo, os líderes podem atuar como facilitadores onde desenvolvem um processo para ajudar a amarrar o conhecimento do grupo junto com as necessidades de desenvolvimento de cada indivíduo tanto para a área como para a organização. Isso pode ser feito quando os líderes descobrem o que é necessário “ensinar” e aprofundar; ensinam/desenvolvem as competências e conhecimentos que são necessários para a equipe de uma forma geral e para as pessoas de maneira específica; e, quando dá a oportunidade das pessoas aplicarem e experimentarem as novas habilidades para que o ele/ela (líder) informe se o aprendizado de fato ocorreu.

No caso da cultura interna a satisfação que as pessoas têm (ou não) dela pode afetar o desempenho. A disseminação e a vivência da cultura e “do jeito de ser” da organização principalmente por parte dos líderes pode e deve ser demonstrado pelo  famoso “walk the talk” (onde as ações são congruentes com o que se fala).

Por fim, como terceiro motivo, temos a construção de signficado. A “nova liderança” tem como base líderes que constroem significado, sendo gestores de sentido do trabalho, dos projetos e dos objetivos que cada pessoa tenha além do fim no trabalho (ou carreira) em si mesmo.

Líderes que conseguem criar significado tem a capacidade de impactar pessoas, organizações, parceiros e comunidades. São pessoas que enxergam na liderança a oportunidade de fazer transformações. Em geral, quatro componentes estão presentes para a “liderança transformadora”:

  • Carisma: desenvolver uma visão para as pessoas, onde estas se identificam tendo orgulho, admiração, confiança e respeito pelo líder.
  • Inspiração: motivar as pessoas criando e gerenciando as expectativas, modelando comportamentos adequados e utilizando símbolos para gerar esforços coletivos e individuais.
  • Consideração individualizada: dar atenção pessoal identificando as necessidades de cada membro da equipe e transmitindo respeito, responsabilidade por meio do empoderamento das pessoas.
  • Estimulação intelectual: continuamente “desafiar” as pessoas e equipes com ideias e abordagens inovadoras.

Espero que estes 3 motivos possam contribuir na sua atuação como líder ou na preparação de quem em breve exercerá gestão de pessoas.

Abraços,

Fabrício César Bastos.

 

 

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *